Desafio Livrada 2014


Desafio

1- Um clássico da literatura brasileira

2- Um clássico esquecido da literatura mundial

3- Um livro do seu autor favorito

4- Um livro de contos

5- Um livro que não foi te indicado por ninguém

6- Um livro com mais de 500 páginas

7- Um livro de poesia

8- Um livro escrito por alguém com menos de 40 anos

9- Um livro escrito originalmente em um alfabeto diferente do seu

10- Uma graphic novel

11- Um livro publicado pela primeira vez neste ano

12- Um livro de não-ficção

13- Um volume de alguma trilogia ou série

14- Um livro que algum amigo te enche o saco pra ler

15- Um livro escrito por uma autora

I’m back like I’m Rosa Parks fare on the same damn bus! Nada como começar o ano com um desafio literário novinho em folha, hein? Ah, obrigado à televisão, graças a você, meus narizes de cera agora parecem uma propaganda porcamente escrita. Mas nem todo mundo pode crescer ouvindo Ravel e bebendo Veuve Clicquot na mamadeira, né?

Sejam bem-vindos ao quinto ano do Livrada!, meu povo. Quem iria imaginar que chegaríamos tão longe, eu e os meus livrinhos, vocês e suas vontades de lerem coisas um pouco mais divertidas do que um crítico sisudo e mal humorado que acha que está fazendo a diferença no mundo. Estamos aqui, com nossa bíblia velha, nossa pistola automática e um sentimento de revolta, sobrevivendo no inferno, mano. E vamos ao que interessa porque vocês não vieram aqui pra ficar lendo abobrinha por muito tempo.

Basicamente o que nós temos aqui, neste nosso desafio Livrada de 2014, é uma espécie de bingo literário, inspirada no Readong Bingo da Retreat by Random Housei. A deia não é original, mas isso não impede que criemos nossa própria e original versão dela. Seu desafio, bravo guerreiro beletrista que vem a essas paragens com sangue nozóio, é ler livros que se encaixem nessas quinze categorias, que vamos destrinchar uma a uma agora:

Um clássico da literatura brasileira: livros que o sistema educacional brasileiro se esforçou muito para você odiar, mas que agora você vai ler para provar que é um mau aluno.

Um clássico esquecido da literatura mundial: vamos ver… Que tal um clássico da literatura mundial que não virou filme nas mãos de algum diretor engraçadinho?

Um livro do seu autor favorito: não importa quem seja o seu autor favorito, leia algum livro dele. Se você já leu a obra completa, releia. Ou arrume outro autor favorito, porque esse negócio de ficar endeusando quem você já conhece por completo não tem graça nenhuma.

Um livro de contos: o terror das editoras, mostre que nesse país tem gente que lê contos.

Um livro que não foi te indicado por ninguém: uma descoberta quase etérea, de algum passeio por livraria, em que você agarra um livro sem nenhum motivo aparente e fala “hoje você é meu, neném”.

Um livro com mais de 500 páginas: cheio de alegria e preguiça, quem lê tanta notícia e quem lê livro longo hoje em dia, não é mesmo?

Um livro de poesia: “Porra, Yuri, tá de sacanagem comigo, né?”. Vamos vencer nossos preconceitos, amigo. Encare uma poesia, de boa qualidade de preferência.

Um livro escrito por alguém com menos de 40 anos: Será que existe vida inteligente antes dos 40? Vamos explorar e descobrir.

Um livro escrito originalmente em um alfabeto diferente do seu: pelo amor de Deus, não vá tentar ler kanji ou cirílico. É pra ler uma tradução de um livro escrito em russo, em grego, em chinês, em georgiano, em armênio, em etíope, em birmanês, sei lá, te vira, negão.

Uma graphic novel: Você é desses que não gosta de livro com figura? Vamos mudar isso esse ano.

Um livro publicado pela primeira vez neste ano: vamos se inteirar das novidades, porque a máquina não para e você não pode deixar de acompanhar o motor do tempo e depois ficar falando mal. Isso é coisa de vagabundo.

Um livro de não-ficção: Sair um pouco do mundo da imaginação e ler as coisas que estão acontecendo no mesmo universo em que você. Vai ser legal, vai por mim.

Um volume de alguma trilogia ou série: Nem só de Jogos Vorazes e Meg Cabot vivem as séries e trilogias. Tem muita coisa boa por aí e a sua missão é descobrir. Contamos com você.

Um livro que algum amigo te enche o saco para ler: salve uma amizade neste ano e dê ouvidos ao seu amigo bem intencionado que quer te apresentar a alguma coisa que ele acha que vai te dizer alguma coisa. Quem sabe sobre você mesmo!

Um livro escrito por uma autora: Who run this mother? (Girls)

******

Bom, e o que eu quero que vocês façam com isso? Em primeiro lugar, abram suas cabeças com uma leitura diversificada neste ano. Em segundo, me contem! A cada livro lido dessa lista, comentem aqui, ou na página do Facebook, ou me mandem um e-mail, eu vou gostar de saber e até vou gostar de publicar aqui, se estiver tudo bem para vocês.

Por último, quero que vocês espalhem essa ideia por aí. Tem esse banner aqui, que não é muito bonito, eu sei, eu fiz no paint, mas eu gostaria que vocês coloquem em seus blogs, espalhassem por aí. Dessa maneira, vamos fazer as pessoas lerem o que elas quiserem, mas quem sabe conseguimos fazê-las ler algumas coisas que elas mesmo não leriam.

 

Eu, de minha parte, também estou nesse desafio e a cada nova resenha de livro que preencha algum desses requisitos, discrimino por aqui. Como diz aquele banco deplorável, vamos fazer juntos?

Nos vemos por aí. And let the games begin!

Anúncios

40 Respostas para “Desafio Livrada 2014

  1. Hum..já li alguns livros que se encaixam em algumas das categorias…vale ou queimei a largada? rs

    Se valer, aqui vão as minhas leituras:

    9- Um livro escrito originalmente em um alfabeto diferente do seu – Caro Michele – Natalia Ginzburg (Italiano)

    10- Uma graphic novel – Persépolis – Marjani Sartrapi

    12- Um livro de não-ficção – Kafka e Praga – Harald Salfellner

    14- Um livro que algum amigo te enche o saco pra ler – Lean in – Sheryl Sandberg

    15- Um livro escrito por uma autora – Adeus, Haiti – Edwige Danticat

  2. Eu já estou lendo livros pro desafio (:
    E também estou divulgando no blog da biblioteca em que trabalho!!

    O primeiro livro do desafio que eu li foi As filhas sem nome, da Xinran. É uma ficção chinesa, mas baseada em histórias reais de mulheres chinesas que saíram do campo para trabalhar na cidade grande. A história foca na vida das três irmãs Três, Cinco e Seis, que nunca receberam um nome de verdade de seu pai, pelo simples fato de serem filhas mulheres.
    É um livro bem rapidinho e gostoso de ler (:

  3. 1. Não costumo ler clássicos brasileiros, mas “O cortiço” do Aluísio de Azevedo, com seu clima efervescente “desceu” fácil pra mim quando o li no Colegial há muuuito tempo.

    2. “Memórias do Subsolo”, Dostoievski. Se é clássico, não sei, mas é universal, é esquecido, é um livro estranhamente fino pra quem conhece os habituais tijolões do escritor russo e é ó-ti-mo.

    3. “Aprender a rezar na era da técnica”, do meu mais novo escritor preferido, Gonçalo M. Tavares. Acho que esse livro figurará no meu Top 3 de literatura por pelo menos uma década. Fora que o título é absolutamente delicioso.

    4. “A máquina de ser”, João Gilberto Noll. Não sou fã de contos, comprei esse por ser do Noll, um dos meus escritores preferidos.

    5. Resta saber se por “ninguém” devo entender apenas pessoas concretas, conhecidas minhas, ou sites e blogs de internet tbm… Imaginando ser a primeira opção e considerando que quase tudo o que leio vem num certo sentido da internet: “Coração apertado”, Marie Ndiaye. Não me foi sugerido por ninguém!

    6. kkk abafa esse.

    7. Ver 15.

    8. “A máquina de fazer espanhóis”, Valter Hugo Mãe. Bem, hoje ele tem 43, mas ao escrever este, tinha 39, então espero que valha. O livro foi dica do Livrada e é mesmo genial.

    9. “As codornas e o outono”, do Prêmio Nobel de Literatura de 1988, Nagib Mahfuz.

    10. “Les mondes d’Aldébaran”, Leo. Só conheço o título em francês (em pt. seria Os mundos de Aldébaran) e não sei se essa série do Leo existe em pt., apesar de o próprio autor/quadrinista ser brasileiro!

    11. “Terra de casas vazias”, André de Leones. Hum, é de 2013… será se vale?

    12. “A identidade do homem”, Elisabeth Badinter. Sem ser complexo, a autora consegue ser muito clara e didática (mas sem ser enfadonha) ao conduzir os pensamentos sobre o tema.

    13. “O senhor Valery”, Gonçalo M. Tavares. Faz parte da série “O bairro”, onde o autor português se inspira em figuras da literatura ou das artes para desenvolver retratos de personagens com alguma obsessão moradores de um bairro imaginário.

    14. Qualquer um do Mia Couto.

    15. “Um útero é do tamanho de um punho”, Angélica Freitas. Poemas.

  4. Cara, três coisas: já tava chateado achando que o blog não ia voltar. Férias longas, hein? Pqp…

    Vou tentar participar do desafio sem me concentrar tanto nisso, ou fico louco.

    E bora mudar o “Ano IV” para “Ano V”, ali em cima, hein? Além de mais bonitinho, fica mais coerente com a realidade. 😉

  5. Pingback: Desafio literário 2014 | Livros. Mais livros.

  6. Eu adorei este desafio e fiz já minha lista de livros (que provavelmente irei mudar com o tempo). Os que já li:

    7 – Caprichos & Relaxos – Paulo Leminski
    8 – A redoma de vidro – Sylvia Plath
    9 – Um grito de amor do centro do mundo – Kyoichi Katayama
    10 – MAUS – Art Spielgerman
    12 – Sgt. Peppers Loney Heart’s Club Band: Um ano na vida dos Beatles e amigos (Clinton Heylin)
    15 – Anna e o beijo francês – Stephanie Perkins

  7. Matando 3 coelhos:
    Um livro do seu autor favorito, Um livro com mais de 500 páginas, Um volume de alguma trilogia ou série.

    Trilogia Snopes ( O Povoado, A Cidade, A Mansão) – William Faulkner

  8. Adorei o desafio, mas minha lista de livros a serem lidos já tem tantos títulos que será um milagre eu terminá-los até o fim do ano. Vou encaixá-los com o desafio e procurar uma graphic novel interessante além disso, alguma sugestão?

  9. Pingback: Desafio literário Livrada! 2014 | O silêncio das estantes

  10. Bem vamos ao desafio em janeiro para descansar reli “A Casa das Sete Mulheres” que contempla os itens
    6- 512 páginas;
    8- tem 40 anos agora embora tenha escrito o livro com 29;
    15- uma autora Leticia Wierzchowski – que nasceu em Porto alegre narra a história de vida de sete mulheres isoladas em sua casa no inicio da Guera dos Farrapos (1835- 1845), tema que sempre me encantou desde a leitura de “O continente ” de Erico Verissimo.
    O livro presente para minha filha na época adolescente, que havia assistido a série produzida para televisão pela g. foi uma leitura saborosa em um final de semana para que ela pudesse levar o volume para a faculdade e ler com calma.
    Em casa este ano querendo ler algo que não fosse estudo me deparei com ele na estante e me lembrei da narrativa densa que Leticia consegue passar em sua escrita a emoção como descreve a tristeza a solidão me haviam impressionado tanto na leitura anterior reli com prazer novo, a história de vida de Manuela que com seus cadernos inspira a bela história que Leticia narra de forma envolvente.

    Estou num período de releituras definitivamente, “Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal” de Gilberto Freyre (1900-1987) não é um clássico da literatura mas seu autor chegou a ser agraciado com o Prêmio Internacional de Literatura La madonnina, na Itália em 1969, e entre tantos outros grande Prêmio Internacionais que recebeu, no finalzinho da vida a Academia Pernambucana de Letras o elege para a 23º cadeira é um clássico da História do Brasil lançado em 1933, com mais de 34 ediçoes e traduzidos em vários idiomas!
    Desafio 6 e 12 realizados ou seja em fevereiro realizei 4 desafios propostos sem usar dos lidos em 2013 rsrsrsr
    abraços Yuri, valeu o desafio

    6

  11. eu acrescentaria um 16º item: um livro que vc já começou mais de uma vez e não conseguiu terminar. Não porque o livro seja ruim, chato ou coisa quo valha, simplesmente porque a leitura não evolui.
    Aconteceu comigo com o “Coração das trevas” do Conrad. comecei várias vezes e não conseguia terminar. O livro é maravilhoso, mas sempre que o barco começava a subir o rio Congo eu abandonava a leitura. Depois de muitas tentativas eu consegui chegar ao final.
    Atualmente meu desafio é “História do cerco de Lisboa” do Saramago, Já comecei três vezes e larguei.

    • Não desanime, Rose! É um dos melhores romances do Saramago, publicado em 1989, década em que lançou seus melhores romances. Quando comecei a ler Saramago, abandonava a leitura logo nas primeiras páginas. Quando consegui vencer essas dificuldades iniciais e me adaptei ao seu estilo único, fui largamente recompensado no final. Tenho quase todos os seus livros.

  12. Pingback: livros que separei para ver o outono chegar | Do que eu falo quando eu falo de leitura

  13. Pingback: livros para ver o outono chegar | Do que eu falo quando eu falo de leitura

  14. Pingback: Sugestões de livros | Bem Sortido

  15. como estamos em abril eu posso começar roubando, e já encaixando umas leituras feitas nas categorias? daí o que sobrar eu leio até o fim do ano. (sim, eu estou pedindo permissão pq sou submissa demais pra tomar essa decisão sozinha XD)

  16. Estou dentro! Só uma dúvida: o livro tem que ter sido publicado em 2014 ou basta que ele tenha sido traduzido para o português em 2014?

  17. Pingback: Desafios: apanhado geral : Leitura Sabática

  18. Pingback: Anton Tchekhov – A Gaivota (Чайка) | Livrada!

  19. Pingback: Sándor Márai – As Brasas (A Gyertyák Csonkig Égnek) | Livrada!

  20. Pingback: Lucas Varela – Paolo Pinocchio | Livrada!

  21. Pingback: Balanço: Desafios literários 2014 - Leitura Sabática

  22. Pingback: De onde vem o vicio por livros | Literateca

  23. Pingback: Desafio Livrada! 2016 | Livrada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s