Bolão do Nobel

Admito, esse blog tá cheio das papagaiadas mesmo. Daqui a pouco estarei fazendo sorteio de cartas ao vivo com a Susana Vieira jogando os envelopes pro alto enquanto o Luigi Baricelli anuncia vencedores do Caminhão do Livrada! que dá um show de móveis pra sua casa. Mas até lá, vamos ficar aqui brincando de populismos.

Então, o Desafio Livrada! 2011 tá bombando. Se você não sabe o que é ainda, é só clicar no banner ridículo ali do lado. Aliás, me empolguei com essa de banner. Vou fazer uma empresa que faz banners ridículos pra empresas, e vai chamar “Banners ridículos do Yuri” porque é um bom nome. Enfim, a parada basicamente se resume a ler quatro livros de um mesmo prêmio Nobel ao longo desse ano. É uma boa desculpa pra conhecer melhor um autor consagrado, afinal. Enfim, as pessoas que já declararam que vão participar do desafio são essas. Participe também e eu atualizo a lista aqui.

Bom, por ordem de aderência (ao desafio, não quero saber se meus leitores grudam ou não grudam na frigideira):

Fausto – Mario Vargas Llosa

Lucas – Harold Pinter

Raphael – J.M. Coetzee

Jackson – Tá pra me dizer ainda.

Angela – José Saramago ou Mario Vargas Llosa

Francine – José Saramago

Carlinha – Orhan Pamuk

Suelen – Doris Lessing OU Günther Grass OU J.M. Coetzee OU Samuel Beckett

Lálika – J.M. Coetzee

Olga – J.M. Coetzee

Isabelle – José Saramago

Alison – Harold Pinter

E eu, obviamente, vou participar também. O autor que eu escolhi foi o V.S. Naipaul, se a rotina me permitir. Alright, bola pra frente e quem ainda não se decidiu, decide aí que vai ser maneiro.

Agora, our main event this evening.

Resolvi fazer um bolão do Nobel esse ano porque primeiro, a Carlinha sugeriu e, segundo, porque o Jackson queria escolher o Philip Roth pro desafio Livrada! 2011 porque tem certeza que ele vai ganhar o Nobel esse ano. Além disso, o Livrada! completa um aninho em Abril e melhor lançar a promoção desde já. Então taí, vamos lançar o Bolão do Nobel, que não é exatamente um bolão, mas soa legal. Melhor do que Toto Bola do Nobel, ou Jogo do Bicho do Nobel, enfim.

Vai funcionar assim: Você escolhe um escritor que você acha que vai ganhar o prêmio Nobel esse ano e faz uma aposta. Cada um só pode fazer uma única aposta e não pode mais trocar.

Pra participar é fácil. Primeiro, você precisa ser assinante do RSS do Livrada!. Se você não sabe fazer isso, é muito fácil. É só clicar na aba RSS ao lado da aba “Quem Faz”. Isso, esse quadradinho laranja. Aí você cadastra o site no seu reader ou e-mail favorito. Pronto, agora é só deixar um comentário aqui nesse post, contendo unicamente o nome do escritor que é a sua aposta. É por ordem de chegada mesmo, moçada, então bora agilizar, porque os favoritos desse ano vão ser chutados logo. O vencedor que fizer a aposta certa vai levar pra casa esse livrinho sapeca aqui:

 

É claro que, como só tenho um livro pra sortear, só uma pessoa vai ganhá-lo, e vai ser a pessoa que acertar com o chute certeiro e em primeiro lugar dos demais. Se mais alguém apostar no vencedor, esse vai se contentar com um post dedicado aos vencedores e seu nome no hall da fama no Livrada!, além de um belíssimo espaço publicitário pra você deixar seu telefone de contato, porque vai chover gente te perguntando os números da mega sena, sabidão.

Lembrando aos apostadores imponderados que o prêmio Nobel de literatura só premia autores VIVOS e com certa relevância literária. Quer dizer, vocês podem votar em quem vocês quiserem, só tô dando uma dica. Vai que esse ano o Dan Brown ou o Paulo Coelho levam?

Bom, a aposta é válida até o dia 15 de setembro, e aí eu seguro as apostas até novembro, quando sair o prêmio, porque aí as casas de apostas abrem e não quero ninguém se pautando por cotação de aposta de casas de aposta alheias, valeu? Caso ninguém acerte, aí eu sorteio o livro numa dessas promoções de comentário.

Então corre aí.

 

 

Anúncios

Vencedor da Promoção – A estante do Sr. Raphael Pousa

Salve, salve! Olha eu aqui abrindo mais um post com uma saudação ridícula digna de um VJ da MTV. Serião gente, depois de hoje, nada de falar “salve, salve”, ok? Bom, anteontem, dia 8, foi mais um aniversário do Livrada!, que completa sete meses, aê! O crescimento do site é satisfatório, tendo em vista que as visitas não param de crescer e que a literatura não é, por definição, muito procurada. Então temos que comemorar! Decidi esse mês homenagear o sr. Raphael Pousa, feliz e cagão vencedor da promoção Comentário número 500 do Livrada! Raphael comentou pela primeira vez no Livrada! e venceu a promoção. E, para provar que não sou nenhum charlatão, pedi a ele que, gentilmente, enviasse uma foto com o livro. Eis aí então: Promoção

“Sou um feliz vencedor!”

Como também estou pedindo aos srs que me mandem fotos de vossas estantes de livros, o sr. Pousa foi ainda mais gentil e enviou fotos de sua bela coleção de livros. Percebi que o vencedor da promoção é um leitor com gostos muito semelhantes aos meus, pois compartilhamos muitos títulos em comum. Colocarei links para os quais já houve resenhado. Senão vejamos:

Nessa foto, vemos alguns de seus livros. Destacam-se ali o Desonra, do JM Coetzee, na novíssima edição luxuosa; Suicídios Exemplares, do Vila-Matas; A Humilhação e Indignação, do Philip Roth; a Invenção de Morel, do Bioy Casares (esse não tenho); Bolaño, só os maiores; Na Natureza Selvagem, que virou filme (não tenho); alguns da Inês Pedrosa (também não tenho), algum sucesso de vendas do dr. Richard Dawkins (não); o quadrinho Cachalote que, francamente, não entendi muito, e o maravilhoso Chabadabadá, do macho-jurubeba Xico Sá.

Aqui temos alguma coisa do Chico Buarque; o livro que eu mandei, Plataforma; Esperando Godot, uma das únicas peças boas desse mundão de deus; um calhamaço do Saul Bellow, de quem resenhei Henderson o Rei da Chuva; Ironweed, do Willian Kennedy, Erec e Eneide, do Montalbán, que comprei num impulso num balaio de 9,90 e a nova edição de O Teatro de Sabbath, de Philip Roth.

Eis aqui algumas pequenas grandes coleções: Luis Fernando Verissimo e Saramago. Os títulos ali incluem uma edição antiga de Memorial do Convento, e os livros que partilhamos: Todos os Nomes, a Viagem do Elefante, as Pequenas Memórias, As Intermitências da Morte, Don Giovanni e O Evangelho Segundo Jesus Cristo. Alright!

 

Gabriéis Garcias Marquezes diversos, incluindo o já resenhado Memória de Minhas Putas Tristes, alguns livros do Chico Buarque (mais Chico Buarque?). Uma edição antiga de Benjamin e a edição laranja de Leite Derramado, que venceu todos os premios populares desse ano (mas não vamos discutir isso, não quero mais inimigos além dos que eu já cultivo). Aí sim, temos o já famigerado Lobo Antunes, sobre o qual já declarei minha posição, sob vaias e protestos dos demais, e vários livros do Rubem Fonseca, uma bela coleção que contém uma luxuosa e desbotada edição de Diário de um Fescenino e o livro Agosto. Ah, não é por nada não, mas babo muito nessa compilação de contos, mas é ruim de achar quem queira se desfazer de uma dessas.

Mais coleções: As ilusões Armadas, do Elio Gaspari (incompleta), dois calhamaços dostoievskianos da editora 34 e a simpática coleção de clássicos da Folha. Tem que ler esses livros aí, hein?

Aqui a coisa começa a ficar confusa. Darcy Ribeiro, Lya Luft, Cony, Adam Thirlwell, Nietzsche, Luc Ferry, Paul Auster e uma edição da idade do Bronze de Grande Sertão Veredas, ao lado de uma pequena coleção de títulos do Fernando Morais. Pô, sujeito, que mistureba! Se decide aí!

 

Pra terminar, uma metade mística-filosófica da estante com A Viagem de Theo, vários de Jostein Gaarder, Paulo Coelho (cof cof) e uma não tão simpática coleção do Estadão. Da outra metade, a preciosidade O Rei de Havana, Marçal Aquino, Machado de Assis, Thomas Eloy Martinez (o livro sobre a Evita), Alan Pauls e um almanacão do professor Pasquale porque ninguém nasceu sabendo!

 

É isso, galera! Já sabem: mandem as fotos de suas estantes para bloglivrada@gmail.com, o tempo está se esgotando. Raphael, desculpe qualquer brincadeira aí, sua estante é nota 10 e você é um ótimo leitor e interlocutor desse blog.

Abraços a todos!

 

Temos um vencedor!

Algumas pessoas realmente nascem com o bumbum virado para lua. O leitor Raphael Pousa fez o seu primeiro comentário no blog e foi o vencedor da promoção do Livrada!: o felizardo autor do comentário de número 500. Eis o que o rapaz comentou:

“Cara, parabéns pelo blog, grande resenhas, vc é muito bom em crítica! E João Ubaldo é João Ubaldo, com certeza um dos únicos que temos para o cânone da nossa literatura! Continue sim resenhando mais literatura brasileira! abs”

Ufa, imagina só se o vencedor comenta algo como “seu cuzão, seu blog é uma merda!”? Melhor assim, afinal, né? Vocês desconfiaram que estava chegando perto pelo fato de eu não ter respondido nenhum comentário do último post? Espero que não muito, sou um cara ocupado apesar de tudo.

Pois muito bem, sr. Raphael, entre em contato com o meu e-mail de contato e enviaremos em seu endereço um exemplar do livro “Plataforma” do Michel Houellebecq. Se já tiver lido, ou quiser abdicar do seu prêmio, não podemos fazer nada, não é? Aí o livro vai para o Juvenal.

E é isso, moçada, continuem lendo, comentando e divulgando o blog Livrada!, que dá muitos prêmios pra você. É. Praticamente um caminhão de prêmios.

3 meses – Promoção

Aí, rapeize! Hoje sim esse site faz três meses, e, pra não deixar passar batido, vou falar da promoção, em um post separado que é pra vocês lerem, divulgarem, enfim. Sabe quando a bruxa má do oeste eventualmente precisa da ajuda dos macacos alados? Então, é agora, meus preciosos. Voem! Voem!

Seguinte: o comentário de número 500, aqui no blog, vai ganhar um exemplar do livro “Plataforma”, do francês Michel Houellebecq. Não, amizade, não é um livro do qual eu estou tentando me livrar. Fosse assim eu dava cabo no Antonio Lobo Antunes, portuga chato da porra. Esse livro é foda mesmo, e quem lê-lo não vai se arrepender. Então, como diz Mr. Catra: VEM QUI VEM QUI, PORRA! Participe.

Livrada! – Há 3 meses fazendo você sentir um pouco menos de nojo de pegar um livro pra ler.